Afinal, câncer de mama tem cura?

Compartilhe!

A possibilidade de receber o diagnóstico de câncer de mama é assustadora para qualquer mulher. No entanto, embora seja uma doença grave e, muitas vezes, de progressão rápida, ela não precisa ser sinônimo de sentença de morte.

Para que você entenda um pouco mais sobre o câncer de mama e qual é a melhor maneira de se prevenir contra a doença, preparamos um mini guia com as principais perguntas e respostas sobre o assunto. Acompanhe a leitura!

O que é câncer de mama?

O câncer de mama é caracterizado pela multiplicação anormal das células da região, o que determina a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo. De acordo com o Inca, o Instituto Nacional do Câncer, é o segundo tipo de câncer mais comum em mulheres, ficando atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Ainda segundo a instituição, a estimativa é de que, somente em 2016, mais de 57 mil mulheres foram atingidas pelo problema.

Quais são os principais sintomas do câncer de mama?

Os sintomas mais comuns do câncer de mama são:

  • mudanças repentinas no tamanho ou forma das mamas;
  • nódulo endurecido e, normalmente, indolor;
  • alterações no mamilo, como inversões súbitas ou formação de crostas ou feridas;
  • saída espontânea de líquido ou sangue dos mamilos;
  • pele da mama retraída, avermelhada, inchada, dolorida ou com aspecto de casca de laranja;
  • nódulos pequenos e frequentes nas axilas e no pescoço;
  • presença de sulcos similares a um afundamento na mama;
  • coceira frequente na mama ou no mamilo;
  • veias facilmente observáveis e crescentes na região das mamas.

Por isso, é essencial que as mulheres observem a região com bastante frequência, no banho ou durante a troca de roupa e, caso percebam qualquer tipo de alteração, consultem imediatamente um ginecologista de sua confiança.

Além disso, é importante lembrar que embora esses sintomas possam ser indicativos de câncer de mama, a presença deles não necessariamente implica em um diagnóstico da doença. Por isso, o melhor mesmo é buscar um ginecologista para que ele possa orientá-la sobre o tratamento mais adequado para o seu caso.

Como é feito o diagnóstico do câncer de mama?

O câncer de mama pode ser diagnosticado em sua fase inicial na maior parte dos casos. Ele pode ser detectado por meio de exames como a mamografia, a ultrassonografia mamária e a ressonância magnética.

Além dos exames recomendados pelo seu médico, o autoexame das mamas é uma medida que permite que você identifique eventuais nódulos na região. O ideal é que ele seja realizado sempre após o período menstrual. Para as mulheres que não menstruam mais, uma boa ideia é fixar uma data para realizá-lo mensalmente.

Aprenda a prevenir o câncer de mama fazendo o autoexame das mamas:

  • posicione-se em frente ao espelho com os braços ao longo do tronco;
  • avalie o tamanho, forma e cor das mamas;
  • busque ainda por inchaços, saliências, rugosidades ou afundamentos;
  • repita o procedimento com os braços acima da cabeça e com as mãos na cintura;
  • no chuveiro ou deitada, posicione o braço esquerdo atrás da cabeça;
  • apalpe cuidadosamente a mama esquerda com a mão direita;
  • repita os mesmos passos com a mama direita.

No entanto, é essencial que você saiba que, ao contrário do que muita gente acredita, o autoexame é um método secundário de diagnóstico, que de nenhuma maneira pode substituir visitas regulares ao seu ginecologista. Isso porque quando um eventual tumor atinge tamanho suficiente para ser detectado dessa maneira, ele já não está em seus estágios iniciais, e as chances de cura já não são máximas. Portanto, previna-se!

tipos de cancer de mama

Qual é o tratamento para o câncer de mama?

Uma vez detectada a doença, é necessário iniciar o tratamento o mais rapidamente possível. O câncer de mama pode ser tratado tanto clínica quanto cirurgicamente.

O tratamento cirúrgico consiste na retirada total ou parcial da mama. Já o tratamento clínico envolve a utilização de uma série de medicamentos, como os quimioterápicos e os hormonais. Também existe a possibilidade de que, após o tratamento cirúrgico, a paciente seja submetida à radioterapia.

Após a cirurgia, é possível realizar a reconstrução da mama. O procedimento pode acontecer por meio de implantes mamários, aproveitamento de retalhos cutâneos ou uma combinação das duas técnicas, a depender do histórico clínico de cada paciente. Em muitos casos, mamilos e auréolas também podem ser reconstituídos, para que a mama reconstruída tenha o aspecto mais próximo possível da original.

Afinal, câncer de mama tem cura?

Sim! Apesar de ser uma doença grave, o câncer de mama pode ser curado. Quanto antes for feito o diagnóstico, maiores são as chances de sucesso do tratamento. Por isso, é essencial que, além do autoexame, você não abra mão das consultas regulares ao ginecologista para a realização de exames preventivos.

Como você pode perceber, o câncer de mama é uma doença grave e que afeta muitas mulheres mas, se detectada em seus estágios iniciais, as chances de cura podem chegar a até 100% dos casos. Por isso, a melhor forma de prevenir-se é mesmo consultando seu ginecologista regularmente e fazendo os exames recomendados pelo profissional!

Se você deseja saber mais sobre o câncer de mama ou tem alguma dúvida sobre o assunto, agende agora mesmo a sua consulta


Compartilhe!