Qual a diferença entre os 2 tipos de parto, normal e cesárea?

Compartilhe!

Preparei um artigo para você entender tudo sobre as diferenças entre os dois tipos de parto, normal e cesárea, com os prós e contras de cada um, e o que você deve levar em consideração para decidir qual o melhor para sua saúde. E se forem gêmeos? Vou falar também. Vamos lá?

Antes de tudo, você deve entender que a escolha do parto deve ser tomada em conjunto com o seu médico ginecologista/obstetra, pois somente ele/a em conjunto com você, podem analisar os riscos e os benefícios de qualquer procedimento.

Portanto por mais que você sonhe e idealize o momento de dar a luz ao seu bebê de alguma determinada maneira, leve sempre em conta a opinião do seu médico ginecologista/obstetra, por que ela pode evitar problemas no momento do seu parto.

O parto Normal

Uma vez grávida, o processo do parto é um fenômeno fisiológico para a mulher. Ou seja, é um processo que deve ocorrer de forma natural, justamente pelo fato do corpo da mulher ser preparado para tal.

Como funciona?

Nele o bebê nasce pela vagina e para isso, depende da força e do empenho da mãe. É, geralmente, um procedimento longo, pois depende da apresentação do feto, da dilatação do canal do parto e da vitalidade fetal.

O parto normal é um processo doloroso, que vai depender da sensibilidade de cada pessoa para dor. Por isso as necessidades da mulher devem ser respeitadas. A decisão entre os dois tipos de parto será pessoal, quando chegar a hora, e sempre com o apoio e orientação de sua médica obstetra.

E a dor?

Se a dor é o seu grande medo na hora de escolher entre os dois tipos de parto, saiba que ela pode ser drasticamente diminuída com uma anestesia peridural. Desta maneira, a única dor que você sentirá durante o parto normal é a das contrações no tempo em que demorar para chegar no hospital.

Corte no períneo?

Outra dúvida bem frequente é sobre a episiotomia. Ela nada mais é do que um corte no períneo que é feito durante o parto para facilitar a saída do bebê. Muitas mães têm receio desse procedimento, mas acredite, ele não é obrigatório.

Durante o parto normal, a mãe pode, eventualmente, não ter passagem suficiente para expulsão do bebê. Nesses casos, a episiotomia é indicada, pois permitirá que o parto aconteça sem lesar outros órgãos, como a bexiga.

Pontos positivos?

De modo geral, o parto normal é o procedimento do qual a mãe mais participa e essa pode ser a sua maior vantagem. Por isso se você optar por ele, pense e organize maneiras de ficar tranquila e relaxada durante o parto.

Traz outras vantagens, como uma recuperação pós-parto mais rápida e, menor risco de infecção.

Portanto, para gestações com pré-natal regular e sem fatores de risco, tais como diabetes, idade avançada, bebês grandes, etc., o parto normal pode ser uma opção desejada.

Contraindicações

Existem, entretanto, situações em que o parto normal não é uma opção. Seja por colocar em risco a vida do bebê, ou da mãe, o parto normal é contraindicado em caso de infecções, desproporção do tamanho do bebê em relação à pelve, posição desfavorável do mesmo.

Então fique ligada! O pré-natal é imprescindível e pode ser um fator decisivo para você optar pelo seu parto.

O parto cesárea

Como funciona?

Esse parto nada mais é do que uma cirurgia na qual será feito um corte horizontal no abdômen. Esse corte passará pelas várias camadas do corpo até alcançar o útero, onde se encontra o bebê.

E a dor?

Logicamente, por ser uma cirurgia, é um procedimento feito com anestesia. A escolha do tipo de anestesia depende de cada caso, mas normalmente varia entre raquianestesia ou anestesia peridural. Todas elas visam manter a mãe acordada durante o parto, porém sem sentir a dor do procedimento.

O pós-parto é um fator bem relativo. Cada mulher reage de uma forma diferente, mas em geral a dor e o desconforto são controlados com medicamentos.

Quais os benefícios?

O parto Cesárea tem suas vantagens e elas devem ser bem ponderadas na hora da escolha.

A oportunidade de escolher previamente a data exata do nascimento, reduzir o estresse da mãe durante o parto, de ser um procedimento de curta duração podem ser vantagens importantes. Portanto pense nisso também!

Quais são os riscos?

Os riscos da cesárea estão associados ao procedimento cirúrgico. Por isso, infecções, hemorragias, trombose, e reações aos anestésicos podem ocorrer como em toda cirurgia.

Quando é indicado?

De forma geral, o parto cesáreo pode ser indicado quando o bebê está na posição errada, de lado ou com a cabeça para cima, quando ele é muito grande (o que dificulta a sua saída pelo canal vaginal). Também no caso de mães infectadas com doenças que se transmitem durante o parto, como herpes genital ou HIV, em caso de suspeita de anomalia genética do bebê.

Casos de trabalho de parto muito longos, ou de sofrimento fetal antes e/ou durante o parto normal, também são indicações de um parto cesáreo.

E se forem gêmeos, o que muda?

O parto gemelar, ou de gêmeos, é um procedimento naturalmente mais delicado. Por isso, é importante que seja planejado, independentemente da decisão entre os dois tipos de parto, normal ou cesárea.

Como funciona?

Não é uma regra que ele seja feito por cesárea, mas por possuir maior risco de hemorragia pós-parto, e depender de uma posição exata do primeiro bebê a nascer, normalmente o parto gemelar é feito por cesárea.

O parto vaginal, nesses casos, fica restrito aos casos em que a posição do primeiro gêmeo seja de cabeça para baixo. A possibilidade de sucesso do parto vaginal é ainda maior se o segundo gêmeo também estiver na mesma posição. Por isso é de suma importância um acompanhamento médico com ultrassonografia durante esse processo sejam realizados e bem feitos para detectar previamente como os bebês se encontram.

Nos casos onde os bebês não se encontram nessa posição ou no caso de gravidez de 3 ou mais gêmeos, o parto cesárea é, com certeza, a melhor opção.

Não é incomum, mães que optaram por parto normal darem a luz ao primeiro filho e, devido ao mal posicionamento do segundo gêmeo, terem que realizar um parto cesárea. Portanto não se assuste se isso acontecer com você!

Em geral, a recuperação do parto gemelar é igual ao dos outros partos. Sendo assim, converse com o seu médico para saber qual dos dois tipos de parto é o mais indicado para sua gestação.

Por fim, lembre-se que embora todos as possibilidades de parto tenham seus benefícios e suas desvantagens, é preciso analisar cada gestação de maneira isolada. A opinião e a idade da mãe, o estado dela e do bebê, e até a disponibilidade financeira de cada gestante devem ser considerados. Então procure o seu médico ginecologista e obstetra, pois ele é o profissional ideal para te ajudar nessa escolha.


Compartilhe!