Aprenda qual é a diferença entre os tipos de DIU: cobre e hormonal

Compartilhe!

Se você usa pílula e está pensando em mudar de método anticoncepcional, certamente já leu algum comentário na Internet ou ouviu alguma amiga falando sobre os benefícios dos dois tipos de DIU. E acredite, eles estão certos.

A eficácia do DIU é tão respeitada entre a comunidade médica que o American College of Obstetricians and Gynecologists recomenda aos profissionais de saúde que ofereçam primeiro o DIU e outros métodos reversíveis de longa duração para mulheres jovens.

Mas se o DIU funciona tão bem, porque é tão pouco usado pelas brasileiras? Primeiro, por desconhecimento. Uma série de mitos e inverdades cercam esse método contraceptivo, que apresenta um dos menores índices de falha entre os disponíveis no mercado.

Pensando nisso, elaboramos esse guia com perguntas e respostas sobre o DIU. Nele, você vai entender melhor os tipos de DIU, esclarecer suas dúvidas sobre a colocação e conhecer mais a fundo suas vantagens. Boa leitura!

O que é DIU?

DIU — ou dispositivo intrauterino — é um objeto em forma de T que é posicionado dentro da cavidade uterina com o objetivo de evitar que a gravidez aconteça.

Quais são os tipos de DIU disponíveis?

Existem dois tipos de DIU: o de cobre e o hormonal. O primeiro deles não contém hormônios. Ele atua provocando uma espécie de inflamação no útero, que deixa o muco cervical com uma grande concentração de cobre. Como a substância é tóxica para o espermatozoide, ele não consegue encontrar o óvulo, impedindo a fecundação.

Já o DIU hormonal, como o próprio nome diz, possui um hormônio chamado de levonorgestrel, que é liberado no útero e torna espesso o muco do colo uterino, dificultando o encontro do espermatozoide com o óvulo.

É importante ressaltar que, diferente do que acontece com outros anticoncepcionais, como a pílula e os injetáveis, a quantidade de hormônio absorvida pelo organismo durante a utilização do DIU hormonal é muito baixa, o que faz com que esta seja uma excelente opção para mulheres que sofrem com os efeitos colaterais  provocados pela pílula.

Quais são as vantagens do DIU sobre outros métodos anticoncepcionais?

Entre as maiores vantagens do tipos de DIU está a praticidade, tornando-o ideal para as mulheres que tem um dia a dia super corrido e não podem perder tempo.

Trata-se de método contraceptivo de longa duração, entre 5 a 10 anos, o que quer dizer que você não vai precisar se preocupar com o assunto por um longo período. Apesar disso, se você decidir engravidar, ele pode ser retirado a qualquer momento, sem qualquer prejuízo à sua fertilidade.

Outra grande vantagem é que os dois tipos de DIU deixam você livre das temidas falhas de uso, que acontecem, por exemplo, quando você esquece de tomar a pílula anticoncepcional, o que diminui substancialmente a efetividade do método.

Além disso, o DIU hormonal causa diminuição considerável ou até interrupção da menstruação, o que faz dele uma excelente opção para mulheres com fluxo e cólicas menstruais intensas.

É importante deixar claro, no entanto, que  a diminuição ou interrupção da menstruação não é uma característica do DIU de cobre. Na verdade, muitas usuárias do método relatam intensificação do fluxo e das cólicas, especialmente nos primeiros meses, o que pode ser um inconveniente. Por isso, é importante conversar com seu ginecologista antes de optar por um dos dois tipos.

Quais são as chances de engravidar usando DIU?

Qualquer método anticoncepcional tem algum índice de falha. No entanto, o DIU figura entre os contraceptivos mais seguros do mercado.

De acordo com um estudo conduzido pela Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, seu índice de falha gira em torno de 0,2 a 0,8%, enquanto que o da pílula anticoncepcional pode chegar aos 9%. Por isso, as chances de você engravidar são praticamente nulas.

O meu corpo pode expulsar o DIU?

Por se tratar de um corpo estranho, isso pode acontecer. No entanto, isso é bem menos comum do que pode parecer. Em geral, a taxa de expulsão do dois tipos de DIU varia entre 1 a 7% das mulheres que optam por esse método contraceptivo.

É verdade que mulheres jovens não podem usar o DIU?

Não, isso não é verdade. Trata-se de um mito antigo, que dizia que mulheres jovens e que nunca passaram por uma gestação não deveriam optar pelo DIU porque ele poderia ter algum tipo de efeito negativo sobre uma futura gravidez.

No entanto, diversos estudos realizados por instituições renomadas no Brasil e no exterior já comprovaram que o DIU é uma opção segura. A OMS (Organização Mundial da Saúde) inclusive recomenda seu uso por mulheres jovens e adolescentes.

Então qualquer mulher pode usar o DIU?

Por tratar-se de um método seguro, o DIU é indicado para a maior parte das mulheres. Ele não é recomendado para pouquíssimas pacientes que:

  • Possuem alguma condição uterina em que o DIU competiria por espaço;
  • Sofreram com infecções pós-parto;
  • Já tiveram câncer;
  • Já tiveram doença inflamatória pélvica;
  • Que têm algum sangramento inexplicado.

Por isso, o ideal é conversar com seu ginecologista para que ele possa explicar se esse é o método mais adequado para o seu caso e tirar qualquer eventual dúvida que você possa ter sobre o assunto.

A colocação do DIU causa dor intensa?

Não. Ao contrário do que muita gente imagina, o DIU não é inserido por meio de uma cirurgia. Trata-se de um procedimento ambulatorial rápido, feito em consultório, que pode ser realizado com anestesia local, o que minimiza qualquer possível dor ou desconforto.

Na maior parte dos casos, a experiência é bastante tranquila. Não é incomum sentir cólicas no primeiro dia após a colocação, mas também não é regra. Há muitas mulheres que não sentem qualquer incômodo.

Passada essa fase, você não deve sentir mais a presença do DIU no seu corpo. Se isso acontecer, é importante entrar em contato com seu ginecologista o mais brevemente possível.

Também é importante lembrar que o DIU não causa qualquer incômodo durante as relações sexuais, já que ele fica posicionado na cavidade uterina e seu fio estará no máximo 1 cm no colo do útero.

Agora que você já conhece melhor os tipos de DIU, ficou mais fácil escolher aquele mais indicado para o seu perfil. Para tomar a decisão final, no entanto, é essencial que você procure um ginecologista e esclareça com ele alguma eventual dúvida sobre o assunto.

Gostou de aprender mais sobre os tipos de DIU? Você tem amigas ou familiares que usam esse método anticoncepcional e tiveram boas experiências? Conte-nos no campo de comentários!


Compartilhe!