Você sabia que é possível tratar endometriose com DIU?

Compartilhe!

Provavelmente você já leu aqui no blog sobre os benefícios de optar pelo DIU como método anticoncepcional: além de ser um dos contraceptivos mais seguros do mercado, o dispositivo intrauterino tem alta durabilidade — entre 5 e 10 anos — e livra você de uma série de inconvenientes causados por outros métodos, como a pílula.

No entanto, será que você sabia que é possível tratar endometriose com DIU hormonal? Para que você entenda um pouco mais sobre essa “vantagem extra” do dispositivo, elaboramos esse post. Boa leitura!

O que é endometriose?

A endometriose nada mais é do que uma afecção ginecológica provocada pela presença de fragmentos do tecido que reveste o interior do útero, chamado de endométrio, em outros órgãos, como ovários, trompas, bexiga e intestino.

Entre os principais sintomas do problema, que atinge cerca de 10% das brasileiras em idade reprodutiva,  estão cólicas menstruais intensas, dor durante as relações sexuais e no período menstrual e dificuldade para engravidar.

Como é possível tratar endometriose com DIU?

O DIU hormonal contém levonorgestrel, que é uma espécie de progesterona sintética. A liberação dessa substância provoca uma atrofia da camada interna do útero, inibindo o desenvolvimento do tecido endometrial e provocando uma regressão progressiva dos focos do problema.

Além disso, como bloqueia a ovulação e, em grande parte dos casos, a menstruação, o DIU acaba atuando em uma das principais queixas das mulheres com endometriose, as cólicas menstruais intensas.

Em geral, estima-se que entre 50 a 70% das cirurgias de endometriose podem ser evitadas somente com o uso do método contraceptivo.

É importante lembrar que esses benefícios podem ser obtidos apenas com o uso do DIU hormonal. O DIU de cobre, que pode intensificar o fluxo menstrual e as cólicas nos primeiros meses após sua colocação, não é indicado para mulheres com endometriose.

Em que casos tratar endometriose com DIU é contraindicado?

Apesar dos benefícios, para algumas pacientes tratar endometriose com DIU não é o mais indicado. É o que acontece, por exemplo, com mulheres que apresentam o problema em sua forma mais grave, quando é necessária a realização de uma cirurgia para a remoção do excesso de tecido endometrial. Nesses casos, o contraceptivo pode atuar em uma etapa posterior como agente de manutenção do tratamento.

Além disso, usar o DIU para tratar a endometriose também não é recomendado para as mulheres que possuem doenças que sejam agravadas ou impeçam o uso de alguns tipos de hormônios.

Como o DIU hormonal pode eventualmente provocar cólicas e perdas de sangue esporádicas nos primeiros meses após a sua inserção, o ideal é que o médico avalie a indicação do contraceptivo como tratamento da endometriose para cada paciente.

Por isso, para saber se tratar endometriose com DIU é o mais adequado para o seu caso, é importante procurar uma ginecologista de sua confiança e seguir o tratamento prescrito por ela.

Gostou de entender melhor como é possível tratar endometriose com DIU? Então compartilhe esse post em suas redes sociais para que mais pessoas saibam sobre o assunto!


Compartilhe!